sábado, 20 de junho de 2009

Gentileza

Hoje eu estava assistindo ao Caldeirão do Huck, a final do Soletrando, quando a menina que ganhara o programa doou 5 mil reias aos dois outros finalistas para seus estudos. Um gesto nobre.

Então eu fiquei pensando, desde pequenos, acredito que muitos de nós, fomos educados a sermos gentis, a saber doar. Todas às vezes que resolvo dar uma geral no armário, sempre descubro que guardo roupas, sapatos, alguns objetos que não tem uso, finalidade para estar ali, e, como aprendi com mamãe a ter desapego aos bens materiais, dou-o a quem eu acredito que precise mais do que eu naquele momento.

Mas será que sabemos receber? A nossa vaidade ou o orgulho, será que nos permite receber coisas que já pertenceram a outras pessoas?

Minha mãe conta que quando eu nasci, minha tia Kátia deu a ela algumas roupinhas e uma manta branca bordada que tinha sido da minha prima que é exatamente um ano mais velha que eu e, lógico, ela usou. Eis que uma barrigada após meu nascimento, nasce o segundo filho dessa minha tia. As roupinhas de menina continuaram com mamis, mas a tal manta branca, essa voltou pra casa da minha tia e meu primo também usou. Teve ainda um cesto, parece que o nome é Santo Antônio, não me lembro direito, que foi meu e meu primo também herdou. Foi um período de trocas.
Dias atrás o mouse do meu pc parou de vez, essa mesma tia me deu o mouse de um computador antigo dela, o qual estou usando neste momento.

Mas porque estou contando essas coisas. Ontem dando outra faxinada nos armários resovi separar alguma roupas que não uso e nem usarei mais. Aqui perto tem três meninas que eu procuro sempre doar a elas. Acontece que não é a primeira vez que eu percebo que uma delas não usa nada do que eu já dei. Já vi uma blusa que eu havia dado ela com outra pessoa da vizinhaça. Não são "coisas velhas", ou "inúteis", ou "restos meus". Mas porquê ela não usa? Será orgulho?

Talvez, ainda que sem querer eu estaja reforçando nela a condição de humildade que ela não quer ter, ou eu esteja diminuindo a auto-estima dela, ou ainda esteja dizendo que ela é inferior a mim por isso as doações. Quem sabe não é ela quem esteja me dizendo, "não gosto de me sentir inferior a você." Tenho os meus orgulhos, sim. Acho preciso apreender a ler, a ouvir aquilo que ela me diz sem palavras.

6 comentários:

Rejane disse...

Menina!! Que lição hoje hein!
Eu ainda não tinha parado pra pensar sobre isso: o quanto é mais fácil doar do que receber...
É. precisamos refletir sobre isso. Por mais que às vezes negamos, mas, certamente há algo a ser mudado em nós a esse respeito.
Abraços.

Iseedeadpeople disse...

Eu sou ótima recebedora. Aceito de tênis velho a roupa furada. Em casa sempre aprendemos a "movimentar" os pertences, fazer a energia dos objetos circular (pareço até uma profissional de feng shui falando rsrsr)

Amo de paixão arrumar os armários meus e de meu filho e descobrir coisas que não nos servem mais e doa-las. E graças a Deus, sempre as pessoas que as recebem, usam, e fico muito gratificada por isso!

Por outro lado, adoro receber coisas usadas dos outros.

Renovação é a palavra chave, ainda mais nestes tempos de crise econômica e aquecimento global!!! Doar, receber, trocar... nunca desperdiçar!

Ana, Aprendiz de Anjo disse...

Como sou a caçula em casa semprei herdei coisas dos mais velhos, porém quando comecei a trabalhar comecei a comprar coisas que seriam só minha, hoje já não tenho essa mesma ansia consumista, porém tenho uma certa dificuldade em receber. beijos

Carol by Carol disse...

Tenho certeza que foi por isso que ela ganhou que tinha em seu coracao esse ato nobre, Deus sempre da a quem merece!

egitoebrasil disse...

doar é sempre um gesto bonito... eu adoro receber também, não tenho problemas com isso.

Beijos!!

Hexer disse...

Eu tenho problemas em receber...sempre me sinto culpada...ai ai anos de terapia.