segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Síndrome de Final de Férias

E as férias chegaram ao fim. Fazer o que, né!? Uma hora eu teria que voltar a trabalhar depois de um mês em casa, descansando, fazendo nada. Eitcha preguiça boa!! :D

Aliás, só estou voltando hoje por conta da gripe suína ou nova gripe. Mesmo aqui na roça, no interioooooor do Rio, essa tal gripe chegou pegando pesado. Os hospitais públicos ou particulares estão proibindo visitas, tamanho é o número de pessoas com suspeita de gripe que estão internadas. O pior é já ocorreram alguns óbitos por causa disso, de crianças, adolescentes, adultos e muitas gestantes. Essa gripe não é brincadeira. A quem diga que o perigo ainda não passou, mas que estão diminuindo o número de infectados. Bom, vamos ver como isso irá acontecer depois da volta às aulas.

O fato é, estou sem a menor vontade de voltar a trabalhar. Estou buscando forças para encarar a volta ao batente, mas está difícil. Acho que estou sofrendo da SÍNDROME DO PÓS FÉRIAS. Isso existe mesmo. Pode até ser uma frescurite da minha parte, mas quem tá na chuva é pra se molhar. Então, o jeito é acordar as 5 da manhã, pegar o busu, rodar os quatro cantos da cidade e ir à luta.

SÍNDROME DE FINAL DE FÉRIAS

"Mudanças de humor, insónias, ansiedade,
perda de apetite, nervosismo, cansaço, irritabilidade, tensão muscular, dores de
cabeça e até vómitos. Estes são alguns dos sintomas do chamado síndrome
pós-férias que, por esta altura do ano, incomoda cerca de 35% da população
activa. Mas há grupos que são mais afectados do que os outros: os trabalhadores
com menos de 45 anos e sobretudo as mulheres sofrem mais com o regresso ao
trabalho, conclui um estudo da Sociedade Espanhola de Medicina da Família e
Comunitária.

De acordo com Blanca Novella, porta-voz desta sociedade, as
mulheres têm mais dificuldade em regressar à rotina porque isso implica
conciliar, de novo, as responsabilidades familiares e laborais. Quanto ao facto
de estes problemas afectarem mais os trabalhadores com menos de 45 anos, isso
acontece, explica, porque é nesta idade que as pessoas têm mais expectativas
sobre o tempo de lazer. Por isso, o regresso ao trabalho é mais doloroso.

Apesar de tudo, "não será uma depressão", explica ao DN a psicóloga Ana
Raquel Bastos. "Esta é uma situação indutora de stress porque há uma mudança de
ritmos e há uma necessidade de adaptação ou de readaptação ao trabalho", diz
esta psicóloga. "Além da regulação do ritmo biológico ao trabalho é normal que
haja alguma ansiedade."

Há quem comece a ter os sintomas já nos últimos
dias de férias. O sofrimento, no entanto, não dura muito. Regra geral, a
síndrome pós--férias não se prolonga por mais que uma ou duas semanas e é
ultrapassado sem recurso a ajuda especializada. "As pessoas sabem que este é um
momento perturbador mas ao mesmo tempo normal. É esperado que todos trabalhem e
as pessoas sabem que têm de cumprir essas expectativas", acrescenta Ana Raquel
Bastos.

6 comentários:

Ana, Aprendiz de Anjo disse...

Férias, meu Deus, que é isso?! Beijos, linda semana.

Iza disse...

Eeeeeeeee Preguiça em rsrs...

eu so peguei 15 dias de férias, mais aproveitei até o ultimo minuto ^^ amu férias, por mim tiraria 10 meses de férias rsrs...
bjs boa volta as aulas rsrs

Barbie Girl disse...

Nem me fale de férias, tô doida para chegar as minhas... hahahahhaa

bjks

Carol by Carol disse...

eu me dou várias férias de presente heheheh
acordaaaaaaaaaaaaaaaaaa vamos trabalhar, acabou a mamata

Paulinha disse...

haushua calma amiga já já vem a paralização da gripe suina rsrsrs eu prefiro trabalhar ehehehehe

Bjus eu voltei táh

Gisa disse...

Falta muito para janeiro??? (Dá para notar que é quando tiro as minhas férias?) kkkkkkk Beijos