segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Uma pitada de Isabel




Hoje eu estava conversando com a minha mãe sobre a nossa família(tios, primos...). Não existe família sem problemas e sem as famosas "figuraças", mas parece que a família da minha mãe vive num comercial de margarina ou então aqueles comerciais de peru de Natal. Todo mundo muito bem arrumadino, sorrindo, felizes, e blá blá blá.

Aí eu resolvi botar a boca no trombone e falar mesmo dos "podres" que ficaram debaixo do tapete da sala de visita. Todo mundo sabe que está lá, passa por cima, sente o acúmulo, mas finge não ver e não entender.

Daí minha mãe disse que eu estava igual a Isabel da novela Viver a Vida. Ué! mas o qual o problema de se falar a verdade? Qual o problema de falar aquilo que as pessoas não queren ouvir para não ter que tomar uma atitude, para não ter uma opinião?

Difícil de entender. Todo mundo costuma dizer que prefere a verdade, não suporta quem fala "pelas costas", aí, quando você toca na ferida usando a tal da verdade, você se torna antipática, cruel, e tantos outro adjetivos.

Parodiano a Flávia do blog "Depois dos vinte e cinco...", qual o problema em falar a verdade nua e crua? Por que dói tanto, incomoda tanto? O que é melhor então: não expressar a verdade e fingir que não está vendo ou descortinar e deixar que a verdade entre e liberte o lugar de tais sujeiras acumuladas?

Eu ainda prefiro dizer e ouvir as verdades e ser uma Isabel, a ser uma pessoa sem opiniões. Se eu falei, tá dito.

6 comentários:

Iseedeadpeople disse...

Sou superfã da Isabel ! Ela detona a hipocrisia!!!

Hum, no meu caso, Maricota, eu opto por ficar sempre na minha. Nem falar mentirada pra agradar a família e nem falar a verdade nua e crua. Simplesmente não falar nada, pra depois não dar motivo pro povo se meter na minha vida!

Cláudia Acourt disse...

Sabe, antes eu era de falar as coisas que eu via, dizer a verdade na cara. Depois, cansei. Entao, na Italia, eu aprendi a colocar na pratica uma frase muito comum de se ouvir por aqui: non sono affare miei. Ou seja, nao é da minha conta.
Hoje eu penso assim, se nao esta relacionado diretamente a minha pessoa e ninguem me perguntou a minha opiniao, fico calada. Asim, nao dou direito a ninguem de comentar a minha vida e ai de quem faz isso!

Mariachiquinha disse...

Humm enetendi o que vocês querem dizer, mas eu não estava me referindo a um acontecimento específico no qual eu dei o meu pitaco.

Estávamos comentando sobre a nossa família, que depois que a minha avó morreu parece que se formaram pequenos grupos entre si.

O povo faz um monte me merd#@$%% mas numa pose. Eu costumo dizer que a família da minha mãe deve beber água de cheiro para ter flatulências aromáticas.

Iza disse...

eu num sou = a Isabel mais sou a ovelha negra literalmente...

odeio falsidade e burburinho de família, quase nao participo de aniverssários e churrascadas do povo dos cafundós dos jundas... odeio quando eu chego num lugar e sei q akela prima, falou horrores de mim antes deu chegar e quando chego é ai q linda... nossa vc emagreceu... nossa adorei sua roupas ¬¬' me poupe né... to cheia desse zé povinho q so lembra da familia pra 3 coisas na vida, anivérssário, casamento ( pra guanha presente, pq se num der ficam de carão) e pra pedir din din ( infeliz some o ano todo e te liga perto do natal falando q ta duro... é molé?)...

Thaís disse...

Pois é.... tenho uma fama na minha... rsrsrs

Me considero uma Isabel só que com um coração mais bondoso com as aflições alheias.

Tenho uma familia inorme descendente de portugueses, espanhóis e italianos imagina a confusão...

Familia grande sinal de confusão... heheh

Esse dias uma das minhas tias dissse que eu era muito dura (realista no meu ponto de vista) com as pessoas, que a vida podia ser mais light, depois desse conmentário resolvi mudar de tática, pq até ouvir que eu ia envelhecer logo com tantas opniões duras sobre as pessoas resolvi conter um pouco minha linha dura de pensamento.
Mas sempre onde tem muitas pessoas com intimidade sobre a sua vida sempre acontece de um o outro meter o bedelho onde n é chamado... e assim as familias vão levando desde que mundo é mundo....

Sempre tem aquella fofoquinha e tal...

Bjussssss

Vamus montar um clubinho homenagiando a Isabel.. hihihi

Mariachiquinha disse...

Vamos Thaís. Sabe aquelas comuniddaes, eu odeio fulano, então vamos fazer um assim admiradores da isabel.

Não acho que as pessoas precisam se "grossas", mas verdadeiras. Tmbém não precisam ser inoportunas. só não acho legal não ter coragem o bastante para dizer as coisas que tem que ser ditas.

é isso! :)