sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Aqui se fala campistês


Tenho maior orgulho em dizer sou campista. Minha cidade pode até nem ser a melhor do mundo, certamente não é, mas não gosto que falem mal dela.
Meu povo tem um jeito próprio, de se vestir, comer, e principalemnte falar. Adoro o jeito como as pessoas falam por aqui, o chamado campistês.

Mas antes de mais nada, é bom que fique bem claro que meu povo não fala errado, são vício de linguagem, regionalismo. Para quem não é da terra, causa uma certa estranheza nosso dialeto próprio, às vezes chega a doer aos ouvidos dos mais intelectualizados, mas aqui é assim.

Não necessariamente todo o campista segue ao pé da letra o campistês, eu por exemplo detesto quando trocam o "l " pelo "r"(CRáudia gosta de chicReti) ou quando acrescentam um "i" no dígrafo "sc" (Ele naIsceu, creIsceu aqui), mas isso acontece, e muito. E um detalhe campistê é quase sempre pronunciado como se estivessem separando sílabas.

Para facilitar o entendimento vamos dividir o nosso palavriado em partes.

Parte I: Retirada da comunidade "Eu falo campistês":
» Campista não DESEMBARCA DO ÔNIBUS; "SALTA"
» Campista não liga o PISCA-ALERTA; "DÁ SETA"
» Campista não para no SEMÁFORO; para no "SINAL"
» Campista não come PÃO FRANCÊS; come "PÃO DE SAL"
» Campista não acha SEM GRAÇA; acha "PALHAÇADA ou ISCROTO"
» Campista não sente AGONIA; sente "GASTURA"
» Campista não se STRESSA; fica "INJURIADU"
»Campista não acha sem AÇÚCAR; acha sem "DOCE
»Campista não usa TOALHA; usa ENXUGADOR
»Campista não usa SANDÁLIA (estilo "Havaianas"); usa LAMBRETA
»Campista não usa FERRO DE PASSAR ROUPA; usa ENGOMADOR
» Para o Campista, tudo que é GRANDE, tb é "CHAPOCA" ou "CEPA"
»Campista não usa BATEDOR DE BIFE; usa MACHUCADOR

Parte II: Verbos locais
»COISAR: Quando se esquece de alguma coisa.
Ex.: Esqueci de COISAR na prova.(marcar, responder)
»POCAR - estourar, quebrar, espoucar
Ex.: A bola POCOU.
»ROMPER - passar por determinado lugar, mesmo que não seja estreito
Ex.: Ele ROMPEU por aqui correndo.
»QUEIMAR NO GOLPE - ficar danado da vida com algúem, morrendo de raiva.
Ex.: QUEMEI NO GOLPE com ele agora.
»SEPAR: jogar
Ex.: SEPEI uma pedra na casa do vizinho.

Parte III: As gírias e outras curiosidades
»Baianada - fazer algo errado (Ele fez a maior baianada no trânsito).
»Chuvisco - doce local à base de ovos (Eu amo chuvisco).
»Diadema - arco de cabelo ( Meu diadema quebrou).
»Friso - grampo de cabelo
»Pé de anozes ou Pé de nozes (nogueira)
»Prá caramba - muito (Choveu prá caramba).
»Djahoje - ainda pouco
»Djahojinha - alguns minutos ou segudos atrás.
»Antionti - antes de ontem ou 2 dias atrás
»Pilorda - quando quer xingar alguma coisa
»Tracafaia - Briga corporal;
»Catiço - xingando alguém teimoso
»Alvoroçado ou alvoroço- agitado demais
»Furuncu ou furunco - furúnculo
»Cabrunco - cabruncúlo ou furuncúlo de cavalo
»Simininu ou Siminina - esse menino ou essa menina
»Tinindo = quando acontence algo de bom
»Lamparão, Lamparão ruim, lampareta, lampioso, lampeta... (xingamento)- desgraçado, coisa ruim, filho de boa mãe...,
»Gingo - teimoso;
»Mixa - pouca coisa
»Ranço - odor nas axilas

Parte II:Traduzindo:
--> Evem (está vindo, aproximando) .
--> Cadique (por quê?).
-->"O caiau!" (interjeição de admiração).
-->Eu estava intertido (eu estava entretido).
-->Por causa que eu (porque eu).
--> Quinem eu (igual a mim).

4 comentários:

Guilherme F. disse...

Vc é doida! Deveria ter vergonha disso aí.. kkkkkkkkk
Eu, quando perguntam de onde eu sou, digo que sou do Rio. Tanto é que na minha carteirinha do colégio tá "Natural: RJ", kkkkkkkkk.
Mas tem mta coisa ai exagerada, que ning mais usa.. mas ao mesmo tempo tem coisa boa, kkkkkkkkkkkk.

Adorei, chatinha do meu coração.
Bjsssssss!

sheila alvarenga gogoi disse...

Ih, tem muita coisa q a gente usa aqui em Salvador tbm:

» Campista não DESEMBARCA DO ÔNIBUS; "SALTA"
» Campista não liga o PISCA-ALERTA; "DÁ SETA"
» Campista não para no SEMÁFORO; para no "SINAL"
» Campista não come PÃO FRANCÊS; come "PÃO DE SAL"

e muitas outras...

Agora, pelo amor de Deus, isso de usar o "baianada" como sinônimo de tudo q é ruim, me REVOLTA. Corto relações com o primeiro imbecil q falar isso. Os paulistas usam muito, "baianada", "baiano" etc. e já mandei muitos á merda por conta disso. Engraçado q eles vivem falando mal daqui mas são os que mais lotam hotéis e blocos de Carnaval.... que ódio, viu? Preconceito contra Nordestino deveria ser caso de cadeia!!!!!

Carol by Carol disse...

auhauuaha rolei de rir

Angel Nascimento disse...

Eu tb não tenho vergonha de falar assim... a propósito, achei seu blog exatamente por estar fazendo uma procura do dicionário campistês pois trabalho embarcada e as pessoas que vem de fora conhecem muitos campistas e vivem falando mal dos nossos conterrâneos.
Aqui onde estou agora, as pessoas me sacaneiam direto ai começaram a falar essas palavras que somos (ou éramos) acostumados a falar.
Me lembro bem que chamava chinelo de lambreta e toalha de enxugador.
Mas de uma coisa tenho certeza, não admiro quem fala nem nunca falei bicicreta e chicrete, mesmo sdabendo que é um vício de linguagem e nem sempre porque a pessoa não sabe falar...
bom! é isso!
bjus