quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Quem tem medo do "trote"?

O “trote estudantil” consiste no ritual mundial em que os “calouros”, estudantes recém-aprovados à inserção em cursos de graduação, são recepcionados pelos “veteranos” através das mais diversas atividades. A grande problemática encontra-se nessas “atividades”: os veteranos munem-se de atos bárbaros variados, desde a ovação propriamente dita à provocação de embriaguez, entre outros.



Hoje eu estava lendo sobre a grávida que sofreu queimaduras durante um trote. http://g1.globo.com/Noticias/SaoPaulo/0,,MUL998945-5605,00-APOS+ULTRASSOM+GRAVIDA+QUEIMADA+EM+TROTE+DIZ+QUE+BEBE+ESTA+BEM.html


Daí fiquei pensando, todo início de ano é a mesma coisa. O tempo passa, mas os trotes continuam. Alguns mais outros menos violentos, mas lá estão eles. E por que depois de tantos casos de violência - alguns acabaram provocando a morte de jovens, ainda existe esse tal de trote? Afinal de quem é a culpa?

Minha mãe conta que meu tio quando passou na prova para o Liceu, isso lá em mil novecentos e cacazinho, e que ele desistiu da vaga por causa do trote.


Eu já morei perto da Faculdade de Medicina da minha cidade e sempre via a alegria dos jovens pelas ruas durante o trote. Isso era uma tradição. Nem sei se ainda existe. Mas aquele momento era motivo de orgulho para um jovem que tinha estudado horrores e havia passado no concorrido vestibular. Era uma espécie de troféu ou o podium. Jogava-se tinta, ovo, rapavam os cabelos dos meninos,faziam com que eles desfilassem pelas ruas, pedissem dinheiro. Humilhante, pode até ser, mas não para muito deles.


Acontece que os trotes começaram a se tornar perigosos demais, violentos demais e a chamar a atenção da sociedade para uma prática tão antiga. Como uma brincadeira entre veteranos e calouros acabou se transformando em uma agressão, ato de violência, vandalismo, barbárie, assassinato?


Será que tem como acabar com o trote? Seria um dever da instituição avisar ao veteranos que, em caso de trote, os alunos envolvidos poderão sofrer sanções ou expulsão? Ou mesmo caso de polícia? Aplicou trote violento ou não, poderá responder por agressão? Será que todos os "calouros" que brincam no trote, realmente querem o seu fim? E aí. o que fazer? Aderir ao chamado trote solidário? Fim do trote universitário?

Eis alguns relatos:



"Ontem recebi meu trote na minha facul, massa d+!

Fomos todos pintados com tudo que os veteranos conseguiram jogar na gente, como tinta, corante, ovos (podres), café, catchup, mostarda, mel nas axilas, farinha, água oxigenada, lama, alho, e muitas outras coisas!Depois rolaram algumas brincadeiras como estourar balão d'água com as barrigas, passar vita-c com a boca, virar a dose de pinga, ficar tonto e chutar a bola no gol etc. Depois ainda fomos pra rua, fedidos e debaixo dum solzão pedir dinheiro pro nosso churras! Acho que as marcas vão ficar no meu corpo por um mês!"


"Me deu medo agora, no final desse ano ingresso numa faculdade.^^Vou correr até.."


"Mandaram todo mundo pro banheiro colocar a cueca por cima da calça, depois de passar bastante mata bicheira e tinta spray. Tivemos que ir de elefantinho até o lado de fora onde começou o banho de óleo queimado. O Mumm-Ra foi o primeiro, deram um banho geral e enrolaram papel higiênico nele todo, o Osama teve que colocar o colete com explosivos e enquanto isso algumas veteranas passavam com cera quente depilando a canela de todo mundo. Teve também a luva dos power rangers(uma lata de tinta que você enfia a mão dentro), ovo e soja. Andando mais(de elefantinho pra variar) tinha que ajoelhar na poça de lama...Pra finalizar colocaram o pessoal pra empurrar o busão."

"Meu amigo faz agronomia q eh o pior dos trotes, ele agora ta no 2 ano ai ele fez uns, axo q naum da pra falar aki, tinha um q era pra reconhecer sabor, mas tinha um q eles passavam uma linguiça com camisinha na boca dum cara vendado, e ai do lado eles punham um cara com o menino de fora AHUhauhua, ai o cara ficava O LOKO VEI NAUM ACREDITO"

"Vo me passar de professor com uma arma de brinquedo no proximo semestre, isso vai da medo."

"isso vai é dar cadeia pra você...qlqr um q brincar com arma, mesmo sendo uma brincadeira "inocente" está sujeito a pagar pela atitude a não ser aquelas de polvora pretas, menores q a palma da mão, que tem a ponta do cano vermelha...essa ai não vai preso, nem da medo "

"Da nada nao, o importante e ve os outros assustados."

5 comentários:

sheila alvarenga gogoi disse...

Não consigo achar a menor graça nestes tipos de trote em que as pessoas são humilhadas e forçadas a fazer coisas que não querem.
Eu ficaria revoltada se me obrigassem a beber, pois vai contra meus princípios.Isto na melhor das hipóteses, pq os trotes infelizmente vão muito além disso!
Qdo entrei em Medicina, o "trote" consistiu em doar sangue. Hj vi no JN um trote que o pessoal foi fazer um mutirão pra pintar uma favela e outro que foram catar lixo na praia.Aí sim!!! Trote Solidário deveria ser obrigado por lei, e TODOS os outros trotes, banidos. Tão revoltante qto a violência física, é a moral , tipo expor pessoas a situações constrangedoras e humilhantes!

Jules disse...

Eu SEMPRE tive medo dos trotes. Mas tive uma sorte tremenda!
Quando era menor e meus primos entraram pra faculdade eu já sentia o drama.
E depois, já na universidade, vi trotes terríveis sendo aplicados em calouros.
Tirando a tinta, o ovo podre e o halls de boca em boca, vi essa história da linguiça com camisinha (exceto a segunda parte da história.. ahem!), e outras coisas também absurdas como fazer os rapazes ficarem de amassos com as meninas obrigatóriamente.
E não tem como escapar. Eles roubam teus sapatos, bolsas ou qualquer coisa que te faça ficar.
Juro que já vi gente fugindo pulando a janela da sala de aula.

Quando entrei pra universidade, entrei em duas de uma vez.
Na particular, como o curso tinha poucos veteranos, escapamos do trote. Só houve uma festinha de confraternização e bebedeira que graças (!!) eu não fui.
Na federal o trote foi no primeiro dia. Uma aluna daquelas que os demais alunos chamam legítimamente de "mal-comida" (desculpem meu palavreado). Do tipinho rabugenta.
Se passou por professora, deu um escândalo na sala e fez a gente ficar apavorado. No final o povo invadiu a sala (imaginem um curso de hitória da universidade federal, quantas alunos não deve ter..). Foi apavorante gente pq boa coisa não ia ser.
Minha sorte foi que tinha um senhor de bastante idade ali (aluno mesmo). E perguntaram se ele queria sair.
Ele quis. Eu me grudei no braço dele e fugi. O pessoal com olhares fulminantes pro meu lado.
Eita sorte! :P

Carol by Carol disse...

eh realmente um absurdo..
eu detesto, cada coisa barbara
ha tantas formas de expressar alegria num? ou um trote solidario?

Guilherme F. disse...

Eu sou hiper, ultra, mega, giga contra trotes. Tanto os mais leves quanto os mais pesados.
Isso é coisa de gente que está numa merda de uma faculdade, que faz um vestibular e passa, tira vaga de quem quer mais do que ele e só apronta essas porcarias.
É chopada, ovada, num sei mais o quê..
Pra que isso? Faculdade é lugar de se estudar, principalmente pública. Eles esquecem que esse lugar que eles tanto adoram zuar, vai ser a base deles no futuro. Vão se tornar o que? Médicos ruins? Engenheiros de construções com estrutura precária? Tem que pensar em tudo isso.
Eu não sou contra sair, reunir amigos, isso é normal.
Daí vem um bando de vagabundos que nao querem nada com a vida, querem mais colar nas provas, não estudar... e combinam de fazer isso.
Agridem pessoas fisicamente, psicologicamente e moralmente.
Esse tipo de "brincadeira" tinha que ser banida de vez nas faculdades. Acho que ainda só têm porque os reitores devem achar graça. Devem colocá-los lá na roda, fazer de tudo com eles pra ver se no dia seguinte eles mandem cancelar isso tudo.
Aqui, na faculdade Estadadual, eles acabam com as pessoas. Pintam, jogam óleo, água sujas, jogam ovo, colocam papel higiênico, faz ficar de cueca na rua, pedir dinheiro...
E agora vem dizer que isso é brincadeira? As pessoas estão entrando na faculdade. Mtos deles gostam, mas outros não, como eu.
Acho que um dia, se acontecer isso comigo, nao fica um pra contar historia. Não que eu vá matar eles não! O.O
Mas que eu vou dar uma bela lição, ahhh isso eu vou (6).
E não vem dizendo que eles mandam não. Comigo isso nao cola. Quem manda na minha vida sou EU, quem decide se quero pedir dinheiro, ser pintado, esculhambado, sou EU.

É isso ai. Pronto, falei.

Coisas Away disse...

Morro de medo de trotes.. ainda mais esse ano q sou caloura na federal de goias.. morrendo de medo..mas pensando bem acho uma coisa tao brega...